O estudante Pedro Arthur Brito Santa Cruz, esfaqueado em um trem da SuperVia no sábado (30), próximo à estação de Quintino, na zona norte do Rio de Janeiro, não morreu "por um milímetro", segundo informação divulgada por familiares, em rede social. Esfaqueado no braço e no ombro, Pedro teve cortes profundos, que atingiram os ossos e exigiram a realização de cirurgia por cerca de cinco horas. O quadro dele é estável, mas ainda não há previsão de alta.

Em sua página no Facebook, a tia de Pedro, Vanessa Monteiro, afirmou que por pouco o corte não atingiu o coração do rapaz. "Obrigado, meu Deus! Por 1mm (milímetro) ele foi salvo! Tudo poderia ter tomado outro rumo!", escreveu.

Já o tio do estudante e professor da Uerj, Christtiano Brito Monteiro, ressaltou que a violência e o risco de morte está presente no dia a dia de todo carioca. "Estamos todos cercados", afirmou, ao comentar a amigos em sua página no Facebook que deu aula para Clara Amil Gold, filha do médico Jaime Gold, morto neste mês, na Lagoa, na zona Sul do Rio, após ser esfaqueado por assaltantes.

A família demonstrou revolta com a falta de preparo da SuperVia no socorro ao estudante, levado ao hospital Salgado Filho por um passageiro do vagão onde estava, e promete ir à Justiça contra a empresa. Em nota oficial, a concessionária alega que "a segurança pública no sistema ferroviário é atividade típica e exclusiva do governo do Estado" e não da companhia.

Em compensação, o atendimento médico no hospital municipal Salgado Filho foi motivo de muitos comentários elogiosos dos tios de Pedro. "Médicos do Hospital Salgado Filho, extremamente competentes e dedicados (se foi pelo fato de termos convocado a mídia, não sabemos)", escreveu Vanessa. "Ele está bem e isso se deve muito a uma equipe competente de cirurgiões de várias áreas, vascular, cardíaco, neuro e ortopedista!", disse Christtiano.

A Polícia Civil está divulgando a foto do assaltante, captada no circuito interno da estação de trem. "A unidade realiza diligências para prender o assaltante e espera que a divulgação da imagem ajude na localização do autor do roubo", informou a Polícia Civil do Rio, por meio da sua assessoria de imprensa.

No mesmo dia em que Pedro foi esfaqueado, no último sábado, a Polícia Civil já havia registrado, pela manhã, outro caso semelhante no centro da cidade. Caio Cavalcante, de 19 anos, deu entrada no Hospital Souza Aguiar, com cortes nas regiões do tórax e pescoço. As consequências não foram graves e já no início da tarde ele recebeu alta. Com informações do Estadão Conteúdo.
Marcadores:

Postar um comentário

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.