Agora no Portal

Morre segundo soldado que passou mal em teste para tropa de elite da PM

Morreu na noite de ontem (18) o segundo soldado da Polícia Militar que passou mal durante um teste físico para o Curso de Operações Policiais Especiais (Copes). Luciano Fiuza de Santana, 29 anos, que era lotado no 12º BPM (Camaçari), estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital do Aeroporto. Ele sofreu falência múltipla de órgãos.

Em nota, a PM confirmou a morte "com pesar" e diz que o soldado Fiuza foi encaminhado ao hospital "após apresentar quadro de mal estar durante a realização do Teste de Habilidade Específica (THE), para ingresso no Copes". O corpo será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e informações sobre velório e sepultamento serão divulgadas assim que os familiares do militar definirem.

O PM Manoel dos Reis Freitas Júnior, 34 anos, morreu na noite de ontem, também no Hospital do Aeroporto. Já o tenente Joserrise Mesquita de Barros Nascimento, 30 anos, da Companhia Independente de Policiamento Especializado (CIPE) Cerrado, está internado no Hospital São Rafael. Apesar do estado de saúde dele ser considerado grave, a equipe médica avaliou como estável o seu quadro. O soldado Paulo David Capinam da Silva Pedro, 26 anos, lotado na 81ª CIPM/Itinga, tem previsão de alta médica para esta quarta-feira (18).

Os policiais também estão sendo acompanhados por oficiais médicos do quadro de saúde da PM, através do Serviço de Valorização Policial (SEVAP). Na nota, a PM esclarece que todos os candidatos que participaram do processo seletivo passaram por exames laboratoriais, cardiorrespiratórios e físicos, além de apresentarem laudo médico atestando sua capacidade física para a realização de atividades físicas de alto impacto.

Um inquérito policial militar foi instaurado com o objetivo de investigar as causas do incidente que culminou na morte de um PM e na internação de mais três. Ao todo, 67 policiais participaram do teste, que previa ainda atividades como transposição de muro, subida no cabo vertical, transporte de carga e apneia na água.

Morte choca família


Familiares do PM Manoel ficaram chocados com a notícia da morte. "Ele não tinha nenhum problema de saúde: não bebia, não fumava e era mais saudável que eu e você juntos", disse o irmão do PM, Toni Moreno. "Ele [Manoel] tinha se preparado para participar desse curso, e tinha feito todos os exames físicos e de sangue, e não tinha apresentado nenhum problema. Inclusive foi aprovado em outras etapas do processo antes da corrida". relata.


"O mais estranho de tudo é que ele e os outros três PMs tiveram os mesmos sintomas", diz Toni, que acompanha o translado do corpo do soldado da capital para o interior. Lotado na 4ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Macaúbas) há dois anos, Manoel passou mal após participar, com outros 66 policiais, de uma corrida de 10 km - primeira etapa de treinamento para o Curso de Operações Policiais Especiais (Copes), no Batalhão de Polícia de Choque, em Lauro de Freitas, que capacita PMs para operações de alto risco. As informações são do Correio.