Os vereadores da Bancada de Oposição ao prefeito Francisco de Assis (PT), de Conceição do Coité, ingressaram ontem com representação de n° 52.311/2013 na Procuradoria Geral da República por suspeitarem de superfaturamento na construção de quatro quadras poliesportivas na cidade.


De acordo com o vereador Nego Jai (PP), líder da Oposição, a gestão passada deixou R$600 mil nos cofres municipais para a construção das quatro quadras – uma no bairro de Terra Nova, uma na Jaqueira, uma em Nova Esperança e outro no Alto São João – em convênio com o Ministério dos Esportes. Cada quadra teria, além do piso, arquibancada, alambrado, iluminação especial, sanitários e vestiários masculino e feminino.

“Ao assumir a administração, o atual prefeito mudou o projeto e vai fazer as quadras com o piso, alambrado e iluminação em algumas delas. E isso a um preço, em média, de R$150 mil cada quadra.

A gestão passada fazia o mesmo trabalho por, em média, R$80 mil. Queremos saber o que justifica o aumento de quase 100% no preço final para a construção dessas quadras?” questionou o vereador Nego Jai.

Para a vereadora Elizane Cana Brasil (PSDB), a Oposição quer saber como vão pagar pelo dobro da construção por menos serviço. “O que queremos é que a prefeitura explique oficialmente porque vão gastar mais por menos obra, já que não vão construir arquibancadas, sanitários e vestiários”, questionou a vereadora tucana.

Segundo o vereador Nego Jai, as obras de Jaqueira e Alto São João ainda estão sendo construídas em local errado. “Onde já se viu construir quadra embaixo de fios de alta tensão? Vão expor os jovens a grave risco de morte. Em Terra Nova, a quadra não tem nem iluminação, contrariando o projeto inicial, o que deixou a comunidade totalmente revoltada porque prometeram uma coisa e vão entregar outra. Ninguém vai poder usar as quadras a noite, por exemplo, quando os pais de família estão em casa e poderiam ter um momento de lazer”, completou o vereador.

A bancada de Oposição, composta ainda pelos vereadores Lindo de Neusa (Pros), Elder (PP), César do Hospital (DEM), Pedrinho da Sambaíba (Prós), além da denúncia na Procuradoria Geral da República, já pediram a suspensão dos repasses para a Superintendência da Caixa Econômica Federal (CEF) em Feira de Santana, além de denunciar o fato à Polícia Federal, Controladoria Geral da União (CGU), Ministério dos Esportes, com quem a prefeitura assinou o convênio; Tribunal de Contas dos Municípios e também ao Tribunal de Contas da União. “Queremos que esses fatos sejam esclarecidos pela prefeitura para que não haja qualquer suspeita de irregularidade sobre essas obras que são tão importantes para a população”, concluiu o vereador Nego Jai.
– Fonte: Aloisio Araujo Jr
Marcadores:

Author Name

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.